30 abril 2014

Como uma onda no mar


Nada do que foi será
De novo do jeito que já foi um dia
Tudo passa
Tudo sempre passará

A vida vem em ondas
Como um mar
Num indo e vindo infinito

Tudo que se vê não é
Igual ao que a gente
Viu há um segundo
Tudo muda o tempo todo
No mundo

Não adianta fugir
Nem mentir
Pra si mesmo agora
Há tanta vida lá fora
Aqui dentro sempre
Como uma onda no mar
Como uma onda no mar
Como uma onda no mar

Nada do que foi será
De novo do jeito
Que já foi um dia
Tudo passa
Tudo sempre passará

A vida vem em ondas
Como um mar
Num indo e vindo infinito

Tudo que se vê não é
Igual ao que a gente
Viu há um segundo
Tudo muda o tempo todo
No mundo

Não adianta fugir
Nem mentir pra si mesmo agora
Há tanta vida lá fora
Aqui dentro sempre

Como uma onda no mar
Como uma onda no mar
Como uma onda no mar
Como uma onda no mar
Como uma onda no mar

Lulu Santos


"Quanto menos pessoas souberem de sua vida e seus projetos,

mais feliz e bem sucedido você será!"


-Evandro Guedes-

29 abril 2014

Brincar de Viver (Maria Bethânia)



Quem me chamou
Quem vai querer voltar pro ninho
Redescobrir seu lugar
Pra retornar e enfrentar o dia a dia
Reaprender a sonhar

Você verá que é mesmo assim
Que a história não tem fim
Continua sempre que você responde "sim"
À sua imaginação
À arte de sorrir cada vez que o mundo diz "não"

Você verá que a emoção começa agora
Agora é brincar de viver
Não esquecer, ninguém é o centro do universo
Assim é maior o prazer

Você verá que é mesmo assim
Que a história não tem fim
Continua sempre que você responde "sim"
À sua imaginação
À arte de sorrir cada vez que o mundo diz "não"

E eu desejo amar todos que eu cruzar pelo meu caminho
Como sou feliz, eu quero ver feliz
Quem andar comigo, vem
Lá lá lá lá lá

Você verá que é mesmo assim
Que a história não tem fim
Continua sempre que você responde "sim"
À sua imaginação
À arte de sorrir cada vez que o mundo diz "não"
Lá lá lá lá lá

Maria Bethânia

Reconciliar-se com os adversários


Concerta-te sem demora com o teu adversário, enquanto estás a caminho com ele, para que não suceda que ele te entregue ao juiz, e que o juiz te entregue ao seu ministro, e sejas mandado para a cadeia. Em verdade te digo que não sairás de lá, 
enquanto não pegares o último ceitil.” (Mateus, V: 25 e 26)

Há, na prática do perdão e na prática do bem em geral, além de um efeito moral, um efeito também material. A morte, como se sabe, não nos livra dos nossos inimigos. Os Espíritos vingativos perseguem sempre com o seu ódio, além da sepultura, aqueles que ainda são objeto do seu rancor. Daí ser falso, quando aplicado ao homem, o provérbio: “morto o cão, acaba a raiva”. O Espírito mau espera que aquele a quem quer mal esteja encerrado em seu corpo, e assim menos livre, para mais facilmente o atormentar, 
atingindo-o nos seus interesses ou nas suas mais caras afeições.

É necessário ver nesse fato a causa da maioria dos casos de obsessão, sobretudo daqueles que apresentam certa gravidade, como a subjugação e a possessão. O obsedado e o possesso são, pois, quase sempre, vítimas de uma vingança anterior, a que provavelmente deram motivo por sua conduta. Deus permite a situação atual, para os punir do mal que fizeram, ou, se não o fizeram, por haverem faltado com a indulgência e a caridade, 
deixando de perdoar.

Importa, pois, com vistas à tranquilidade futura, reparar o mais cedo possível os males que se tenham praticado em relação ao próximo, e perdoar aos inimigos, para assim se extinguirem, antes da morte, todos os motivos de desavença, toda causa profunda de animosidade posterior. Dessa maneira, se pode fazer, de um inimigo encarnado neste mundo, um amigo no outro, ou pelo menos ficar com a boa causa, e Deus não deixa ao sabor da vingança aquele que soube perdoar.

Quando Jesus recomenda que nos reconciliemos o mais cedo possível com o nosso adversário, não quer apenas evitar as discórdias na vida presente, mas também evitar que elas se perpetuem nas existências futuras. Não saireis de lá, disse ele, enquanto não pagardes o último ceitil, ou seja, até que a justiça divina não esteja completamente satisfeita.

O Evangelho Segundo o Espiritismo – Allan Kardec
(Cap. X – Bem-Aventurados os Misericordiosos)

Qual a sua religião?



Valores que não tem preço.


Essas coisas são as mias importantes que podemos ter.


Muitas outras podemos comprar, até podem ser tão importantes, podem-nos fazer felizes, mas são fáceis de ser substituídas.


São inesquecíveis, mas infelizmente não são eternas porque nada nesta vida é eterno.


Não tem preço o amor.


Não tem preço um beijo dos nossos filhos.


Não tem preço acordarmos todos os dias de manhã com saúde.


Não tem preço, a alegria, a felicidade.


Não tem preço o sorriso de uma criança.


Não tem preço estarmos perto das pessoas que amamos.


Não tem preço um verdadeiro amigo.


Não tem preço sentir que as pessoas que gostamos têm tempo para nós.


Mas nos dias de hoje parece que às vezes tudo está distorcido.


Vemos pessoas a gastarem o seu tempo a trabalhar, sem terem tempo para estarem com a família.

Vemos pais que não dão atenção aos filhos.


Vemos pessoas a lamentarem-se todos os dias sem razão alguma.


Vemos pessoas que maltratam crianças.


Vemos pessoas que odeiam, em vez de amar.


Todo nós deveríamos ter consciência de que é uma felicidade tremenda fazer os outros felizes, apesar dos nossos próprios problemas.


A dor partilhada é metade da tristeza, mas a felicidade quando partilhada, é dobrada.


Se te queres sentir rico, conta todas as coisas que tens que o dinheiro não pode comprar.


O dia de hoje é uma dádiva, por isso é que lhe chamam de PRESENTE.


Pensem nisso.


(desconheço autoria).

25 abril 2014


Mensagem Espirita - Anjos da Noite

Dados da Casa de Maria


Sem um corpo perfeito pode se ter uma alma perfeita

Há coisas nesta vida que não podemos deixar de mostrar aos nossos amigos.....

Duas almas: uma do cão, outra da dona - maravilhosas!

Apresento-lhes um cachorro chamado FAITH (Fé)!

Este cachorrinho nasceu na Véspera de Natal no ano de 2002.

Nasceu apenas com as duas patas traseiras.

Como está claro, não conseguia andar, e até a sua própria mãe o rejeitou.



Seu primeiro dono também pensou que ele jamais conseguiria andar, e considerou "pô-lo a dormir"....

Nessa altura, a sua atual dona, Jude Stringfellow, conheceu-o e pediu para ficar com ele.

Determinada, foi ela quem ensinou e treinou este pequeno cão a andar por si só.

Chamou-lhe 'Faith', ou Fé.



De princípio, ela colocou-o numa prancha de skate, para que sentisse o movimento...

usou depois manteiga de amendoim para atrai-lo, 

e como recompensa para que ele se levantasse e saltasse, 

apenas nas duas pernas. Ao fim de apenas 6 meses, 

o "Fé" começou a aprender a equilibrar-se nas pernas traseiras, 

e a saltar para a frente, movendo-se assim.

Depois de mais treinos na neve, ele pode "caminhar" como um ser humano.


Faith adora movimentar-se por todo o lado agora.

Onde quer que ele vá, atrai sobre si todas as atenções.

Tornou-se famoso na cena Internacional, e já apareceu 

em programas de Televisão e em Jornais.

Está para ser publicado um livro sobre ele entitulado "Com um pouco de Fé".

Considerou-se ainda incluí-lo num dos filmes de Harry Potter.




Sua dona, Jude Stringfellew , deixou o trabalho como Professora, 

e planeja levá-lo numa volta ao mundo, 

pora mostrar que mesmo sem um corpo perfeito, 

se pode ter uma alma perfeita.







Na Vida, existem sempre coisas que não desejamos, 

porém, basta olhar a vida noutra perspectiva para que nos sintamos melhor.











Espero que esta mensagem traga para as pessoas, 

novas maneiras de pensar e que possam sentir 

e agradecer cada novo dia como uma benção.

O "Faith" é a demonstração contínua do valor e maravilha que é a Vida.

22 abril 2014

Muita Paz e Luz Sempre!!!


A importância de fazer o Evangelho no Lar.

1. Escolha o dia de sua preferência. Sugerimos um dia de fácil memorização, por exemplo, segunda ou sexta-feira.

2. Escolha um aposento silencioso e agradável da casa, de preferência a sala de jantar, e que esteja com os aparelhos eletro-eletrônicos desligados.

3. Coloque uma jarra com água sobre a mesa, para fluidificação. Na falta dessa podem ser utilizados copos, qualquer um, em número correspondente aos integrantes do Evangelho.

4. Sentar-se à mesa sem alarde e sem barulho.

5. Fazer a prece de abertura, a que toque mais fundamente o sentimento familiar. Pode ser uma prece pronta ou uma prece espontânea, o importante é, repetimos, o sentimento da fé e a confiança na Proteção Divina.

6. Após, fazer uma leitura breve de O Evangelho Segundo o Espiritismo. Comentar com palavras próprias o trecho lido. No início poderá existir certa timidez mas, com o correr do tempo, os comentários surgirão espontaneamente pois que os Espíritos amigos estarão auxiliando na compreensão dos textos selecionados.

7. Os demais integrantes poderão tecer comentários também, caso o desejem, mesmo que estes levem a assuntos pessoais e/ou a diálogos, naturalmente que sempre pertinentes ao tema em foco. 

O Evangelho no Lar é antes de tudo uma reunião de Espíritos reencarnados no mesmo ambiente, buscando através da prece, da elevação de pensamentos e do diálogo fraterno, o amparo e o auxílio do Mais Alto para seus problemas e necessidades. Não deve ser jamais solene ou ritualístico, com palavras e movimentos decorados a lembrar missas e demais cultos.

8. Para incentivar a participação dos filhos ou demais membros, com exceção do pequeninos, é conveniente pedir que leiam mensagens espíritas, para reflexão do grupo. Incentivar também, com carinho, o comentário após a leitura. Sugerimos aqui os livros Fonte Viva e/ou Pão Nosso, de Emmanuel, Agenda Cristã e/ou Sinal Verde, de André Luiz.

9. Proferir a prece de encerramento e rogar, como exemplo, pela paz, harmonia, saúde e felicidade dos membros da reunião e de todos com os quais convivem. Desejando, rogar também pelos doentes, desamparados e infelizes da Terra. Por último, pedir a bênção de Deus para os familiares desencarnados, sem temor. A lembrança da prece alegra e pacifica os que partiram.

10. É completamente desaconselhável qualquer manifestação mediúnica durante o Evangelho no Lar.

11. Servir, após a prece de encerramento, a água fluidificada.

12. Tempo: o necessário para a família. Sugerimos uma reunião de 15 a 30 minutos. Música: sim, se for do agrado de todos. Sugerimos música instrumental, em volume baixo.


Elaborado pelo Instituto André Luiz

Frase


Reencarnação



Reencarnação é a ação de encarnar-se sucessivas vezes, ou seja, 
derivada do conceito aceito por doutrinas religiosas e filosóficas de que, 
na morte física, a alma não entra num estágio final, 
mas volta ao ciclo de renascimentos.
Heródoto menciona esta doutrina como sendo de origem egípcia, 
sendo que nessa concepção a reencarnação se dava
 instantaneamente após a morte, 
passando a alma para uma criatura que estava nascendo 
(que poderia ser da terra, da água ou do ar), 
percorrendo todas as criaturas em um ciclo de três mil anos.



Artigo do Dr. Rogério Brandão, Médico oncologista - CANCÊR

Como médico cancerologista, já calejado com longos 29 anos de atuação profissional (...) posso afirmar que cresci e modifiquei-me com os dramas vivenciados pelos meus pacientes. Não conhecemos nossa verdadeira dimensão até que, pegos pela adversidade, descobrimos que somos capazes de ir muito mais além.


Recordo-me com emoção do Hospital do Câncer de Pernambuco, onde dei meus primeiros passos como profissional... Comecei a freqüentar a enfermaria infantil e apaixonei-me pela oncopediatria. Vivenciei os dramas dos meus pacientes, crianças vítimas inocentes do câncer. Com o nascimento da minha primeira filha, comecei a me acovardar ao ver o sofrimento das crianças.


Até o dia em que um anjo passou por mim! Meu anjo veio na forma de uma criança já com 11 anos, calejada por dois longos anos de tratamentos diversos, manipulações, injeções e todos os desconfortos trazidos pelos programas de químicos e radioterapias. Mas nunca vi o pequeno anjo fraquejar. Vi-a chorar muitas vezes; também vi medo em seus olhinhos; porém, isso é humano!

Um dia, cheguei ao hospital cedinho e encontrei meu anjo sozinho no quarto. Perguntei pela mãe. A resposta que recebi, ainda hoje, não consigo contar sem vivenciar profunda emoção.

— Tio, — disse-me ela — às vezes minha mãe sai do quarto para chorar escondido nos corredores... Quando eu morrer, acho que ela vai ficar com muita saudade. Mas, eu não tenho medo de morrer, tio. Eu não nasci para esta vida!

Indaguei:

— E o que morte representa para você, minha querida?

— Olha tio, quando a gente é pequena, às vezes, vamos dormir na cama do nosso pai e, no outro dia, acordamos em nossa própria cama, não é? (Lembrei das minhas filhas, na época crianças de 6 e 2 anos, com elas, eu procedia exatamente assim.)

— É isso mesmo.

— Um dia eu vou dormir e o meu Pai vem me buscar. Vou acordar na casa Dele, na minha vida verdadeira!

Fiquei "entupigaitado", não sabia o que dizer. Chocado com a maturidade com que o sofrimento acelerou, a visão e a espiritualidade daquela criança.

— E minha mãe vai ficar com saudades — emendou ela.

Emocionado, contendo uma lágrima e um soluço, perguntei:

— E o que saudade significa para você, minha querida?
— Saudade é o amor que fica!

Hoje, aos 53 anos de idade, desafio qualquer um a dar uma definição melhor, mais direta e simples para a palavra saudade: é o amor que fica!

Meu anjinho já se foi, há longos anos. Mas, deixou-me uma grande lição que ajudou a melhorar a minha vida, a tentar ser mais humano e carinhoso com meus doentes, a repensar meus valores. Quando a noite chega, se o céu está limpo e vejo uma estrela, chamo pelo "meu anjo", que brilha e resplandece no céu.

Imagino ser ela uma fulgurante estrela em sua nova e eterna casa. Obrigado anjinho, pela vida bonita que teve, pelas lições que me ensinaste, pela ajuda que me deste. Que bom que existe saudade! O amor que ficou é eterno.

Paz e luz a todos _/\_

Prece ao anjo guardião e espíritos protetores




Espíritos sábios e benevolentes, mensageiros de Deus, cuja missão é assistir aos homens e conduzi-los no bom caminho, sustentai-me nas provas desta vida; dai-me a força de suportá-las sem murmurar; 


desviai de mim os maus pensamentos, e fazei com que eu não dê acesso a nenhum dos maus Espíritos que tentarem me induzir ao mal. 


Esclarecei minha consciência sobre meus defeitos, e elevai de sobre meus olhos o véu do orgulho que poderia impedir-me de os perceber e confessá-los a mim mesmo.

Vós, sobretudo (leia aqui, o nome do seu anjo), meu anjo guardião, que velais mais particularmente por mim, e vós todos  Espíritos protetores que vos interessais por mim, fazei com que me torne digno da vossa benevolência. Conheceis as minhas necessidades, que elas sejam satisfeitas segundo a vontade de Deus.

Amem!

Fonte e Foto: Mensagens Espirita - Anjos da Noite

"DÍVIDA E REENCARNAÇÃO"



Século XVIII. Ano 1769. Na varanda da Casa Grande, Maria Amélia arquitetava o terrível plano. Sim, Tereza Cristina não lhe roubaria o noivo. Afastá-la-ia de seu caminho, custasse o que custasse. Seus sonhos de moça apaixonada não seriam destruídos pela prima.

Maria Amélia pensava, pensava... o passeio a cavalo, marcado para o dia seguinte às margens do rio, deveria servir de algum modo para eliminá-la. Ali se encontravam as abelhas mortíferas que já haviam aniquilado duas rezes desprevenidas. Bastaria somente colocar a prima ao alcance delas.

Precisava ter uma ideia!... Surgiu-lhe, então, o plano macabro. Assustar-lhe-ia o cavalo, no local mais próximo às abelhas. Ela nada sabia a espeito da região perigosa. Dispararia a arma entre as patas do animal, que lançaria ao solo e fugiria em seguida. Depois, ela própria retirar-se-ia do local e... pronto, tudo terminaria.

No dia seguinte, quando ambas se encontravam na zona perigosa, Maria Amélia não hesitou. Disparou a arma. O cavalo de Tereza Cristina empinou-se e a jovem caiu com um grito de dor. O zumbido ameaçador já era audível, quando Maria Amélia esporeou o próprio animal e, afugentando a utra montaria, afastou-se rapidamente. Ao longe, ainda pudera ouvir os gritos de Tereza Cristina.

Mas tarde, o corpo da jovem foi encontrado, quase disforme. Tudo parecera acidente. O tiro não fora ouvido e todos acreditavam que Maria Amélia escapara por milagre e sua prima não tivera sorte.

Ano 1969. Na cidade mineira de Uberlândia, os jornais noticiam em manchetes:

ABELHAS VOLTAM A ATACAR MOÇA MORTA NUM PIC-NIC.

E, logo a seguir, a notícia esclarece que várias moças que se reuniam num pic-nic, às margens de um riacho, em fazenda próxima, foram atacadas por abelhas ferozes. Uma delas, a mais atingida, veio a falecer num dos hospitais da cidade, enquanto era atendida pelos médicos.

.........................................................................................

Duzentos anos depois, a Lei cumpria-se e Maria Amélia, pela bênção da Reencarnação, resgatara sua dívida.

Do Livro "Histórias da Vida" de Antônio Baduy Filho.

Elaboração: Nilce Araújo.

Meiga filha do Eterno Pai


"Meiga filha do Eterno Pai, amparai aos que peregrinam os rincões inferiores da vida, para que neles aflore o desejo de Conhecimento, Certeza e Bondade, deixando de parte as idolatrias, os paganismos, os ritualismos e todas as formas inferiores de culto espiritual.


Anjo tutelar das legiões que socorrem nas trevas e nos lugares de dor, atendei ao clamor daqueles que, arrependidos, anseiam reencontrar o Caminho da Verdade que livra.


Doce Mensageira do Amor, derramai vossa ternura maternal sobre os corações aflitos, para que se elevem às alturas do trabalho redentor.


Senhora Eleita, inspirai o sentimento da Verdade, do Amor e da Virtude nos corações de todos aqueles que tendem aos desatinos do mundo, para que não desçam aos lugares de pranto e ranger dos dentes.


Levantai, ó Senhora, dos abismos tenebrosos, a todos quantos erraram por causa dos fanatismos religiosos.
Intercedei, ó meiga estrela, por aqueles que, esquecidos da Lei e olvidados de Jesus Cristo, mergulharam nos lugares de sombra e de dor.

Ó ternura, ponde sentimento de pureza em todos os corações femininos, para que se convertam em verdadeiros anjos guardiães.

Sede a luz, ó Maria, daqueles olhos que não podem ver.

Amparai, ó Senhora, aos que fraquejam ao longo dos caminhos da vida.

Ouvi, ó Símbolo das Mães, a voz dos que não podem falar.

Enxugai a lágrima, ó meiga irmã, daqueles que padecem falta de misericórdia.

Dominadora de paixões, sede o anjo guardião, daqueles que temem resvalar nas vielas do pecado.

Consoladora dos aflitos, ungi com o Bálsamo do Amor aos que se encontram de coração angustiado.

Guiai os passos, ó doce amiga, dos que tendem a desanimar em face das torturas do mundo.

Depositai, ó Maria, em todos os corações, o sentimento de igualdade perante as leis que regem o Universo Infinito.

Conduzi ao pórtico da Verdade, ó candura, a quem se encontrar perambulando pelos caminhos da inverdade e do crime.

Envolvei com o vosso azulino manto, ó Maria, a todos aqueles que procuram as verdades eternas, perfeitas e imutáveis de Deus, através da Divina Modelagem de Jesus Cristo.

Apontai, ó luminosa estrela, ao Testamento da Moral, do Amor, da Revelação, da Sabedoria e da Virtude, para que todos os filhos do Altíssimo encontrem, de uma vez para sempre, os braços abertos do Divino Amigo."

Texto enviado: Agostinho Araujo

A HISTÓRIA DO LÁPIS.



O menino olhava a avó escrevendo uma carta  a  certa altura, perguntou:

 __ Você está escrevendo uma história que aconteceu conosco? e, por acaso, é uma história sobre mim?

A avó parou a carta, sorriu, e comentou com o neto:
__ Estou escrevendo sobre você, é verdade entretanto, mais importante do que as palavras,  é  o  lápis  que estou usando. Gostaria que você fosse como ele quando crescesse.


O menino olhou para o lápis,  intrigado,  e  não  viu  nada  de especial.

__ Tudo depende do modo como você olha as coisas.  Há cinco qualidades nele que, se você conseguir mantê-las, se á sempre uma pessoa em paz com o mundo.

 "Primeira qualidade: você pode fazer grandes coisas, mas não deve esquecer nunca que existe uma mão que guia seus passos esta mão nós chamamos de deus, e ele deve sempre conduzi-lo em direção à sua vontade.

"Segunda qualidade: de vez em quando eu preciso parar o que estou escrevendo, e usar o apontador. isso faz com que o lápis sofra um pouco, mas no final, ele está mais afiado, portanto, saiba suportar algumas dores, porque elas lhe farão ser uma pessoa melhor.

"Terceira qualidade: o lápis sempre permite que usemos  uma borracha para apagar aquilo que estava errado. entenda que corrigir uma coisa que fizemos  não  é necessariamente algo mau, mas algo importante  para  nos manter  no  caminho  da justiça.

"Quarta qualidade: o que realmente importa no lápis não é a madeira ou sua forma exterior, mas o grafite que está dentro. portanto, sempre cuide daquilo que acontece dentro de você.

"Finalmente, a quinta qualidade do lápis:  ele  sempre  deixa uma  marca da  mesma  maneira,  saiba  que  tudo  que você fizer  na vida, irá deixar traços, e procure ser consciente de cada ação."

“Paulo Coelho”